Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação
Sociedade

Fórum das comunicações debate desafios da regulação


O ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, lançou nesta quinta-feira, 12, em Luanda, o desafio da conclusão da agenda digital da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP) e a diminuição do fosso digital, visando a prestação de serviços com qualidade e a preços mais acessíveis aos cidadãos.



O governante, que discursava na abertura do XI Fórum das Autoridades Reguladoras das Comunicações Electrónicas da CPLP, que se realiza em Luanda, afirmou servir para afinar estratégias e decidir rumos desta actividade na comunidade.



O encontro vai se estender até sexta-feira (13) e debate temas da actualidade, como a chegada das redes 5G e Internet das Coisas, novos modelos de negócios e ciber-segurança.



O governante reforçou que “ o Executivo tem estado  a promover a liberalização do  sector, o investimento  público e privado e a construção de  infra-estruturas. 



Por sua vez, o secretário-geral da ARCTEL, Francisco Chavate, afirmou que o fórum consultivo e de reflexão  pretende se afirmar como um espaço de debate franco, aberto e participativo sobre as perspectivas do sector da sociedade lusófona.



A regulação da sociedade digital deve responder aos desafios da conectividade , desenvolvimento tecnológico, tendo como o expoente máximo, a protecção do consumido, reforçou .



Já o PCA do Instituto angolano das comunicações (INACOM), Leonel Augusto, enquanto autoridade reguladora, chamou a atenção para o uso responsável das Tecnologias  de Informação e Comunicação (TICs).



“O digital é uma faca de dois gumes. Apesar de servir para cortar o bolo, também tem sido usada para ferir, magoar e causar danos sérios à sociedade”, disse.



Organizado pelo Inacom, em parceria com a ARCTEL, o décimo primeiro fórum das comunicações da CPLP serve para a partilha de experiências entre  reguladores, operadores, universidades e sociedade civil.